Brazil Machinery Solutions

WEG adquire controle da BirminD, startup focada em otimização industrial




15 - setembro - 2020

O controle sobre a startup foi assumido em julho deste ano com o objetivo de ampliar o ecossistema de soluções digitais da WEG

Em mais uma etapa de expansão do portfólio de soluções digitais para a indústria, a WEG adquiriu, em julho deste ano, o controle da startup BirminD. Focada na otimização industrial através de inteligência artificial (IA) e machine learnig, a startup vendeu 51% de seu capital social para a fabricante de máquinas elétricas de Santa Catarina. Ambas as empresas são participantes do Programa Brazil Machinery Solutions — projeto setorial da ABIMAQ em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Fundada em 2015, em Sorocaba, a BirminD foca em encontrar potenciais de eficiência oculta  nos processos industriais. Como principais meios para atingir este objetivo, há o desenvolvimento de softwares que através da IA fornecem informações estratégicas aos tomadores de ação das empresas.

Para os clientes da WEG, a aquisição da startup irá trazer serviços, ferramentas e aplicações para extração de informações da base de dados dos sistemas de gestão de ativos de motores e inversores, WEG Motor Fleet Management, e dos sistemas MES. A fabricante visualiza novas possibilidades a partir dessa parceria. Para Diego Mariano, CEO da BirminD, a empresa vem para complementar o portfólio da WEG Digital no que tange Machine Learning Industrial. “Estamos unindo a capacidade da BirminD em simplificar o uso de IA no chão de fábrica com o respaldo e segurança da marca WEG, de modo a democratizar a indústria 4.0 para todos os tamanhos de indústria.”

Sobre o período de negociações da empresa com a WEG, Diego fala que “estas conexões são sempre complexas. Tivemos várias interações com diferentes pessoas da WEG ao longo de muitos eventos, o que culminou em um contato por parte deles para, inicialmente, uma parceria comercial. Isto foi evoluindo ao longo do tempo até a aquisição realizada em julho”.

As soluções comercializadas pela BirminD vêm de encontro ao cenário competitivo global em que produzir com o máximo de eficiência torna-se um fator de sobrevivência para as empresas. Segundo estimativas realizadas pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, em 2017, o Brasil economizou R$ 72 bilhões adotando os novos conceitos relativos à indústria 4.0, como IoT (internet of Things), machine learning e big data. O estudo ainda detalha que, deste valor, R$ 35 bi devem vir da redução em custos de reparos e manutenções; R$31 bi, dos ganhos em eficiência produtiva e R$ 7 bi da redução de gasto com energia. 

O produto da startup é alinhado a esses objetivos. Ela oferece um software que trata os dados industriais, desde os mais simples, armazenados em planilhas de excel, aos mais complexos, como conexões automáticas com ERPs, supervisórios e controladores. O software correlaciona as informações de forma a encontrar potenciais reduções de desperdícios de dinheiro. Além disso, faz o ranqueamento das melhores oportunidades de otimização para a fábrica, permite encontrar a causa raiz de problemas e indicar os melhores parâmetros de operação industrial.

Tecnologia industrial e inovação são foco do IPDMAQ

Focada nas necessidades estratégicas da indústria de máquinas e equipamentos e visando fomentar iniciativas como a da BirminD, a ABIMAQ aplica o esforço contínuo de estimular, apoiar e orientar este setor. A entidade promove a pesquisa, desenvolvimento e tecnologia através do Instituto de pesquisa e desenvolvimento tecnológico da indústria de máquinas e equipamentos, o IPDMAQ. 

“O contato com o pessoal do Instituto tem sido excelente. Sempre que eu preciso de suporte, eu recebo. Particularmente eu só tenho elogios a eles”, afirma o CEO
da BirminD. 

A empresa participa ativamente das ações promovidas pelo IPDMAQ e foi uma das fabricantes a participar do “Encontro com Startups”. O evento foi realizado pelo MOVE — Programa ABIMAQ de Startups Industriais  — vinculado ao Instituto, em setembro do ano passado, em Santa Catarina. “Foi um ótimo evento. A ABIMAQ como um todo sempre nos deu um grande suporte para consolidar a marca no segmento industrial. Especificamente neste encontro, nós pudemos conhecer mais sobre as iniciativas de indústria 4.0 na região e também aumentamos nossa rede de contatos”, conclui Diego. 

Esta edição do evento contou com 77 empresas e 35 startups que puderam se conectar  e trocar experiências. Diego foi um dos palestrantes a apresentar os cases de sucesso da relação entre empresas e startups, ao lado de representantes da Votorantim cimentos e Eurofarma. As startups também puderam usar o ambiente para gerar negócios e realizarem seus Pitchs no modo “Open Mic”, relatando ótimos desdobramentos gerados.