Brazil Machinery Solutions

Empresa brasileira produz cápsulas de isolamento para pacientes com coronavírus




29 - abril - 2020

A fabricante do setor de máquinas e equipamentos se mobiliza para ajudar no transporte de pessoas infectadas entre hospitais

Cápsulas que isolam completamente um paciente infectado pelo novo coronavírus. Parece um recurso muito avançado e distante do cenário brasileiro no processo de tratamento, no entanto já é uma realidade. A Robopac, empresa participante do Programa Brazil Machinery Solutions — parceria entre a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ) — está investindo nessa ação surpreendente.

Antenada a tudo que vem acontecendo mundo afora no combate ao coronavírus, a empresa, em parceria com outras fabricantes, fez o projeto e executou o protótipo do equipamento. Trata-se de uma cápsula de isolamento para o transporte de pacientes com o vírus de um hospital a outro, quando houver a necessidade. Esse recurso já existe e é fabricado na Rússia, de onde vai para países asiáticos para conter o contágio.

As cápsulas, projetadas pelo engenheiro Nathan Mezzacasa, da própria Robopac, são hermeticamente fechadas e servem como uma medida de proteção dos profissionais de saúde, uma vez que os equipamentos isolam a pessoa contaminada pelo vírus e, assim, evitam mais contágio.  “O doutor Ludgero Michalski (médico da cidade) verificou a necessidade do isolamento dos pacientes na hora de transportá-los e entrou em contato comigo”, conta o diretor executivo da Robopac, Judenor Marchioro. Ele ainda ressalta que o dispositivo pode ser ligado a equipamentos médicos e respiradores.

Localizada em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, a empresa é especializada em produção e comercialização de máquinas para envase de produtos de limpeza. Já exportou para países como Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Paraguai e Peru. A fabricante encontrou, em seu meio de produção, uma maneira de realizar o projeto dessas cápsulas. De acordo com Judenor, quatro equipamentos já foram produzidos e doados. Outros dois estão em fase de execução. A Robopac contou com a ajuda das empresas Ricefer e PCR Metais na construção das cápsulas.

Descontaminação de equipamentos

Outra dificuldade identificada por profissionais da saúde de Bento Gonçalves é a reposição de equipamentos básicos no tratamento dos pacientes, como simples aventais e máscaras N95. Diante dessa situação, e também contando com parcerias como a da empresa Maquinapack, Judenor conta que a Robopac se envolveu na criação de uma sala de descontaminação destes materiais.

“Diante da escassez de equipamentos básicos que os profissionais necessitam, como aventais e máscaras, nós encontramos essa solução”, ele explica. No interior de uma Unidade de Pronto Atendimento foi instalado um sistema de aquecimento que eleva a temperatura de uma das salas a 70ºC. Depois de lavados, os aventais e máscaras são colocados nesse local, aquecidos por 30 minutos e, depois do processo de descontaminação, podem voltar a ser reutilizados. “Nós estamos engajados para que todas as pessoas infectadas pelo vírus tenham condições de atendimento”, ressalta Judenor.