Brazil Machinery Solutions

A Indústria Florestal russa: reservas, conservação e o investimento em tecnologia




18 - junho - 2021

Em conversa com o Setor de Promoção Comercial da Embaixada do Brasil em Moscou, o Blog do Brazil Machinery Solutions traz um panorama do status da indústria florestal russa e aborda a reorientação dada ao setor pelo governo daquele país, com estratégias ambiciosas para os próximos anos.

A Rússia detém, atualmente, um quarto de todas as florestas do mundo. A indústria madeireira é um dos setores mais antigos de exploração e hoje responde por 0,5% do PIB nacional, nos recorda o Setor de Promoção Comercial da Embaixada do Brasil em Moscou. Como maneira de reverter os baixos índices de produtividade da indústria florestal, o governo russo criou um plano de fortalecimento deste segmento, com o objetivo de dobrar a participação do setor na economia russa. A estratégia do governo russo prevê um aumento na extração de madeira a ser atingido em 2030, saindo de 219 milhões para 286,1 milhões de metros cúbicos por ano, aumento na produção de madeira serrada crescendo de 44,7 milhões para 70 milhões de metros cúbicos, de celulose e produtos de papel e biocombustíveis dobrando para 16,6 milhões de toneladas e 2,8 milhões de toneladas por ano, respectivamente. O número de funcionários das empresas de processamento de madeira, atualmente estimado em 500 mil pessoas, também de crescer consideravelmente, passando a 820 mil pessoas, com receitas fiscais para o sistema orçamentário do país que devem sair dos atuais 91 bilhões de rublos (1,22 bilhão de dólares) para 189 bilhões de rublos (2,53 bilhões de dólares). A estratégia do governo russo se baseia num processo de digitalização da indústria, de desenvolvimento de mecanismos de reflorestamento e da criação de viveiros florestais, do apoio à infraestrutura de processamento e da expansão da malha rodoviária florestal, reforça o SECOM de Moscou. 

Os principais mercados de vendas externas, de acordo com os estudos de mercado produzidos, são os países da região Ásia-Pacífico, Ásia Central e Oriente Médio. No início dos anos 90, na Rússia, 23 fábricas produziam de 30 a 35 mil máquinas e linhas de tratamento de madeira por ano. Nos últimos anos, de acordo com dados oficiais, são fabricadas apenas de 4 a 6 mil unidades de equipamentos de madeira. De acordo com estatísticas oficiais, em 2019, a Rússia produziu 5.572 máquinas para trabalhar madeira, das quais mais da metade (59,7%) pertencem à categoria “serras circulares para madeira, serras de fita e serras de vaivém”. O equipamento de fabricação doméstica é mais amplamente representado no setor de serraria, o que se deve à grande participação de pequenas empresas e empreendedores individuais, que usam equipamentos baratos e produzem madeira serrada de baixa qualidade. 

Os equipamentos para a produção de mobiliário, para marcenaria e construção, para produção de conjuntos de peças para casas de madeira são produzidos em quantidades limitadas para o mercado interno e não são competitivos na relação preço e qualidade, de acordo com a equipe do SECOM. Os equipamentos para secagem de madeira serrada são produzidos em pequenas quantidades, e a demanda é retida pela falta de tecnologias de automação dos processos de secagem em produtos nacionais. Em geral, as principais restrições ao volume da produção nacional de equipamentos para madeira são o baixo nível tecnológico das máquinas fabricadas, falta de serviços de engenharia, baixa qualidade e confiabilidade, além do alto consumo de energia das máquinas fabricadas por empresas russas. A isso se soma a ausência – em seus programas de produção –  de muitas variedades de equipamentos tecnológicos modernos, especialmente máquinas com comando numérico computadorizado (CNC), bem como de equipamentos inovadores para a implementação de tecnologias modernas de marcenaria. A consequência dessa situação é o foco do consumidor na compra de equipamentos de empresas estrangeiras, um espaço que pode ser melhor aproveitado pela indústria de transformação brasileira.

Na importação de equipamentos de processamento de madeira para a Rússia foi registrado, em 2017, um recorde desde 2010, com 473,2 mil unidades importadas, enquanto desde 2012 o valor não ultrapassava 347,3 mil unidades. Em 2018, o volume de compras de máquinas e linhas para marcenaria diminuiu para 360,9 mil unidades, mas em 2019 voltou a aumentar para 364,6 mil unidades. De fato, a redução das importações de máquinas e unidades para madeira em 2019 face a 2017 foi de 21,7%, mas a participação das importações no consumo interno manteve-se praticamente inalterada, acima de 90%. O desenvolvimento da indústria madeireira russa é limitado por uma série de fatores que se relacionam com o alto grau de desgaste físico dos equipamentos, aponta o Setor de Promoção de Comercial. Com isso, a qualidade dos produtos e sua competitividade são reduzidas. Ao mesmo tempo, todos os equipamentos avançados para a indústria são fabricados no exterior, de modo que a renovação do ativo imobilizado requer investimentos de capital significativos.

Em 2020, a Rússia importou 459 mil unidades desses equipamentos, no valor de 312 milhões de dólares. Foram importadas, principalmente, equipamentos na categoria “outras serras mecânicas para processamento de madeira” (25%), “dobradeiras ou máquinas de montagem” (16%). Em 2019, a maioria das importações se referia a “outras serras mecânicas para processamento de madeira” (31%), “aplainadoras, fresadoras ou aplainadoras e modeladoras” (14%).  Nos últimos cinco anos, segundo as estatísticas russas, o Brasil vendeu para a Rússia 53 unidades de equipamento de processamento de madeira, principalmente “máquinas para lascar, triturar ou descascar”. Houve, inclusive, tentativas brasileiras de explorar o mercado de maquinário para produção de pellets de madeira.  No que diz respeito à estrutura das importações russas por país (bens do grupo “máquinas para processamento de madeira, etc.”), nos últimos anos a China ocupou o primeiro lugar com participação acima de 30%, seguida pela Alemanha (15%), Itália (14%) e Finlândia (8%) .

Para download da Análise do SECOM sobre a Indústria Florestal Russa na íntegra, clique aqui.

Acesse o estudo encomendado pela Apex-Brasil para o setor de máquinas para exploração florestal e processamento de madeira na Rússia:

http://www.apexbrasil.com.br/inteligenciaMercado/EstudosDeOportunidadesDeMercados

Raio-X Rússia

População: + de 146 milhões de habitantes

Capital: Moscou

Maior Cidade: Moscou

Feiras do setor de exploração florestal e processamento de madeira: Uma das principais feiras da Rússia para a indústria florestal, de móveis e da madeira é a Woodex. A cada 2 anos, na capital russa, mais de 350 empresas de aproximadamente 30 países acompanham por 4 dias milhares de visitantes em busca de equipamentos, máquinas e produtos para madeira. A feira Woodex tem sua próxima edição prevista para acontecer entre 30 de novembro e 3 de dezembro de 2021, em Moscou.

Feiras do setor de exploração florestal e processamento de madeira: Uma das principais feiras do país e talvez a maior, a Lesdrevmash acontece em Moscou a cada dois anos. A feira contou, na última edição, com aproximadamente 400 expositores de 27 países. Respeitando protocolos sanitários, os organizadores realizaram a uma edição da feira em outubro de 2020 e já têm confirmada, para setembro de 2022, a próxima edição.Feiras do setor de máquinas-ferramenta: A principal feira do país para o setor de máquinas-ferramenta é a feira Metalloobrabotka, sediada na capital Moscou e com frequência anual. A feira, surgida em 1984, é a maior deste segmento em toda Europa Oriental, com quase 1200 expositores de mais de 33 países. A edição de 2021 está confirmada para acontecer entre 24 e 28 de maio de 2021.